Revista Glosas de Portugal comenta Trombone Contemporâneo Brasileiro

March 23, 2014

A Revista Glosas de Janeiro de 2014 comenta o disco Trombone Contemporâneo Brasileiro, de Carlos Freitas: 

 

"Carlos Freitas, idealizador do projeto, é trombone solo da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP), integrante da Camerata Aberta, grupo contemporâneo de câmara da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), professor desta instituição e artista da Antoine Courtois Paris.

 

Lançado em novembro último, o disco tem como objetivo principal mostrar a atuação do trombone no cenário brasileiro. Para isto, Freitas encomendou obras a diversos compositores de destaque, que escreveram para formações diversas nas quais o trombone fosse sempre tônica. Abordar o trombone nos dias atuais é retomar, obrigatória e inevitavelmente, a Sequenza V (1966) de Luciano Berio. Marco no repertório para o referido instrumento, os desdobramentos da experiência do compositor italiano ecoam em Circulares, peça de Sérgio Kafejian para trombone e eletrônica em tempo real, que explora justamente o viés das possibilidades sônicas, tímbricas e expressivas do instrumento; e em Canvas, composição para dueto de trombones tenor de Alexandre Lunsqui, na qual a latente imperceptibilidade da existência de dois trombones em ação resulta na escuta de um “instrumento impossível” que preenche a tela em branco da composição – daí o título da obra – com desenhos e cores.

 

As peças de Rodrigo Lima Elegia em Azul, para octeto de trombones, e Matiz I , dueto para trombone e trompete, seguem esta mesma abordagem sinestésica entre cores e sons no universo da composição. O Vento do Sussuarão, obra de Paulo Zuben para trombone solo e ensemble, que remete às sonoridades boulezianas, e Cavaleiro da Linha do Céu, de Marcílio Onofre, para trombone solo e quartetode cordas, mostram que é possível estabelecer uma comunhão entre elementos nacionais — em ambos os casos, inspiração textual ou imagética, que constituem a ambiência das peças – e as estéticas de vanguarda.

 

O disco é encerrado por Contrafacta, composição de Flo Menezes para quinteto de metais e eletrônica, uma releitura à l a Stravinsky da transcrição de Mille regretz de vous abandonner, deJosquin Desprez, feita pelo próprio Menezes.

 

O vultoso projeto idealizado por Freitas cumpre de forma excelente seu intuito inicial: fornece ao ouvinte um rico caleidoscópio da produção brasileira para trombone, num disco de altíssima qualidade musical e gráfica. É um item imprescindível àqueles que desejam conhecer melhor e mais profundamente as possibilidades do instrumento e a produção musical hodierna no Brasil."

 

Veja o artigo completo em: http://www.scribd.com/doc/200400468/glosas-10

Please reload

© Carlos Freitas 2013 - 2014     Developed by Guilherme Assunção

  • w-facebook
  • w-youtube